"Comunicação indoor, conectando marcas e pessoas"

PLATAFORMAS DE ATUAÇÃO

COMO FAZEMOS

Para a Mídia Play, cada projeto é único e demanda um novo “diagnóstico” para a busca de soluções inovadoras. Estão aqui selecionadas nossas principais plataformas de atuação que podem ajudá-lo a definir novas possibilidades de comunicação dentro do seu negócio.

 Comunicação Corporativa.

Muitos processos e relacionamentos internos podem melhorar com o uso da comunicação digital indoor. Atualmente, os antigos murais estáticos vêm sendo substituídos pela comunicação digital – som, imagem e movimento – proporcionando um diálogo contínuo entre a diretoria e os departamentos. Este é um canal para motivar os colaboradores e promover:

  • Teleconferências;
  • Treinamentos;
  • Lançamentos de produtos;
  • Apresentação de parcerias, convênios e outros benefícios;
  • Envolvimento do colaborador com a marca e segmento;
  • Comemoração aos aniversariantes do mês e destaques de atuação;

A Mídia Play, pensando em uma nova comunicação realmente efetiva, desenvolveu um diferencial para as empresas: a possibilidade de transformar o descanso de tela dos computadores em veículos de comunicação para apresentar aos funcionários, os conteúdos internos.

Muitas vezes, os colaboradores de uma empresa ficam tão imersos em suas responsabilidades cotidianas que não se envolvem com outras áreas, não conhecem os produtos da empresa e nem ficam sabendo sobre seus lançamentos e ações promocionais. O trabalho de comunicação corporativa com o uso da mídia digital faz a informação relevante circular pela empresa.

(Clique aqui para ver o case Neoquímica)

Comunicação no PDV

É no ponto de venda dos supermercados brasileiros que 76% dos consumidores* decidem a compra, atraídos por condições de preço, promoções, benefícios e embalagens. Com isso, a presença de telas nas gôndolas e demais ambientes do PDV adquirem uma força decisiva. As telas são capazes de dar vida ao merchandising, modernizam as lojas e colocam as marcas em comunicação direta com o consumidor no momento da compra. Além disso, as telas podem entreter o público amenizando o desgaste da espera em filas, disponibilizando informações relevantes o consumidor e até promovendo vendas adicionais ao mencionar produtos que o cliente pode estar esquecendo de comprar.

*Dados do POPAI Brasil – The Global Association For Marketing At Retail – 3ª Edição da Pesquisa – 02/2011

TV DA MARCA

Dentro desse contexto a TV DA MARCA se torna uma plataforma que pode contribuir para fortalecer a relação entre indústria e lojista de formas múltiplas: a indústria, interessada em divulgar seus produtos e aumentar volume de vendas, pode oferecer as telas sem custo adicional para o lojista; ou o lojista pode desejar incrementar sua renda e ambientar seu PDV instalando telas e vendendo espaços de divulgação para a indústria.

MENU DIGITAL

A forma mais comum de encontrar o Menu Digital aplicado no PDV é como o cardápio das redes de fastfood. O Menu em tela digital permite comunicar os produtos e promoções das marcas de forma didática, de fácil atualização e significativamente mais atrativa que os formatos impressos. É possível comunicar mais conteúdo ocupando um espaço menor no ponto de venda, sem falar do baixíssimo custo de manutenção e atualização, agilidade ao atingir mais pessoas de uma só vez e da maior atratividade, chamando mais atenção para o produto com imagens e interação.

Alguns outros setores de consumo também começam a adotar o Menu digital, como as marcas voltadas para o segmento de moda que expõem seus desfiles em telas no PDV par mostrar o caimento das roupas e expor tendências.

TV DE GÔNDOLA

Ideal para busca de preços, ativação de campanhas e promoções ou lançamento de produtos, com a possibilidade de inserir vídeos, imagens e textos explicativos. Para o fabricante, esta tela representa a possibilidade de vender os diferenciais de seu produto em um novo e mais efetivo formato de exposição, chamar atenção para sua marca e ganhar visibilidade em gôndola. Para o lojista, representa a inovação no ambiente de compra e mais uma possibilidade de negociação da exposição de produtos com os fabricantes.

(Clique aqui para ver o case Santa Marta)

Eventos

Em eventos, as telas funcionam como uma mão de obra digital, que pode se inserir em várias atividades como agentes de comunicação, persuasão e interatividade. Além disso, a relação entre custo e eficiência fica equivalente: ao usar  máquinas no lugar de promotores, a sua marca tem a certeza de que as informações relevantes serão ditas e os conceitos principais serão preservados, não ficando vulnerável às argumentações da equipe contratada. Além disso, há a possibilidade de abrir mão da abordagem do promotor, que muitas vezes é invasiva ou ignorada, por uma atratividade natural estimulada pela curiosidade da exposição de imagens, sons e telas inovadoras.

TV Interativa

Na tela digital touchscreen, é possível assistir a um vídeo e responder uma enquete ou navegar por várias abas com informações adicionais do produto, aumentando o tempo de exposição do consumidor com a marca e gerando relatórios quantitativos e qualitativos.

As telas dispensam o uso de DVDs, pois possuem leitores de cartão de memória e entrada para USB para leitura de arquivos.

(Clique aqui para ver o case Mantecorp)

 Relacionamento e venda, de mãos dadas

Estamos na era digital, mas nada substitui o relacionamento. A quantidade de informações e opções e a rapidez das inovações levam os consumidores a uma percepção seletiva das marcas e seus produtos e serviços, mudando suas escolhas com alta frequência. Por isso, o esforço de comunicação precisa ser maior e mais efetivo com o uso de novos recursos para inovar constantemente, chamar a atenção do consumidor e criar vínculos mais fortes com ele. Neste cenárioas telas digitais têm um papel cada vez mais relevante. Cada tela no PDV é capaz de gerar uma média de 2.400 inserções de 30 segundos por dia – proporcionando uma experiência com imagem, som e interatividade que destaca definitivamente a marca anunciante. Além disso, com custos bem menores que os da mídia de massa, as telas têm um formato de gerenciamento de conteúdos com fácil atualização e passam a certeza de que a comunicação será vista pelo seu real público alvo, já que o consumidor será impactado no momento da compra.

(Clique aqui para ver o case Hipermarcas)